Cinco dicas poderosas para configurar o seu Web Analytics

Existem algumas dicas que você pode seguir para ajustar de forma precisa o seu Analytics para maximizar o valor desta ferramenta

As ferramentas de Analytics permitem coletar estatísticas de websites para responder questões fundamentais sobre a sua audiência e os seus interesses. Por exemplo, quem está visitando seu site? De onde eles vieram? O que eles estão fazendo no seu site?

Estas são informações bastante importantes, mas como você configura e utiliza estes dados?

Graças a experiência adquirida ao trabalhar com clientes de diversas indústrias, sabemos que ferramentas de Web Analytics são bastante eficientes para nos ajudar a responder estas questões. Existem algumas dicas que você pode seguir para ajustar de forma precisa o seu Analytics para maximizar (e muito) o valor desta ferramenta.

1. Mantenha seu Analytics limpo

Diversas áreas da sua performance digital podem ficar escondidas em um Analytics bagunçado, então vale a pena mantê-lo limpo. Sempre mantenha pelo menos uma visão limpa de todos os dados do seu website na sua conta do Analytics. Isso significa não ter filtros – só os dados como são coletados originalmente, com toda sua glória inalterada.

Porquê? Por que uma das características dos sistemas de Analytics é o de que, se você fizer uma mudança na visualização de seus dados, toda a mudança será aplicável apenas a partir daquele ponto, o que pode acabar causando perda de dados relevantes, caso você não seja cuidadoso.

2. Trackear e Taggear suas Fontes

As ferramentas de website Analytics automaticamente identificam os tipos diferentes de tráfego e suas fontes, mas o seu funcionamento perfeito depende da informação que a ferramenta consegue buscar das URLs que as pessoas estão utilizando para visualizar o seu site.

Então, munir as URLs do Analytics com mais informação, significa que você conseguirá ter um melhor e mais eficiente tracking. O próprio Google fornece uma ferramenta fácil de construção de URLs que faz com que adicionar informações às URLs seja um processo bem simples. Isto é feito através parâmetros UTM, que incluem informações sobre fontes de tráfego, tipos de campanha, nomes de campanha, etc... É importante ter certeza que a sua agência digital está utilizando URLs bem taggeadas. Mesmo quando utilizar links encurtados (bit.ly, por exemplo) as URLs originais devem incluir estes parâmetros UTM.

3. Definindo os Domínios e Subdomínios

Se o seu site tem múltiplos subdomínios, ativar a opção de mostrar o Domínio Completo na sua conta do Analytics fará a sua vida bem mais simples. O Google Analytics não faz isto de forma padrão, ele trata páginas com o mesmo nome em diferentes subdomínios como a mesma página.

Isto é bastante importante porque ele significaria que duas páginas, “exemplo.com/pagina1” e “subdomínio.com/pagina1” seriam exibidos como “/pagina1”no seu Analytics, dificultando sua análise. Você pode de resolver este ponto de maneira fácil, seguindo este passo-a-passo aqui. 

4. Mantenha tudo junto em um só lugar

Para conseguir os melhores resultados e análises com a informação que você tem sobre o seu site, você vai precisar combinar os dados do Google Analytics com outras fontes. O Google Analytics pode ser integrado facilmente com o Adwords e com o Google Search Console. Ao fazer essa integração, você consegue informações muito mais ricas sobre suas campanhas, atividades de search e performance de search pago.

Você talvez tenha que coordenar as agências com as quais você trabalha para implementar isto pela primeira vez, mas vale dizer que esta é uma atividade que só precisa ser realizada uma vez, e que vai te munir com dados valiosos sobre todas as suas atividades futuras. Você também pode ativar reports demográficos e por interesse no seu Analytics para conseguir mais informações sobre seus visitantes, e sobre quem eles são.

5. Use atalhos espertos

Nunca aconselharíamos cortar partes do trabalho em nenhuma atividade, mas existem alguns atalhos que você pode utilizar em Web Analytics. Uma vez que você identificou quais são os dados mais interessantes para você, é possível criar dashboards e atalhos que te levam diretamente para estes dados, fazendo com que a sua naegação seja mais fácil e rápida.

Dashboards são bons para representações visuais de dados (O Google Analytics tem um dashboard inicial com estatísticas chave do site que podem ser customizadas) mas se você faz download regulares de alguns dados, então recomendamos criar estes atalhos . Você terá que adicionar atalhos ao longo do tempo, mas é uma forma bastante prática de manter as coisas organizadas desde o início.

Estas dicas são algumas das coisas mais simples que encontramos, mas que farão toda a diferença ao utilizar o seu Analytics. Mas existem uma série de outras configurações que podem ser implementadas, melhorando e facilitando a sua vida com o Analytics de sua escolha. Como a maioria dos nossos clientes trabalha com o Google Analytics, focamos nossas recomendações nesta ferramenta, mas elas são facilmente aplicadas à outras ferramentas que você possa utilizar.

*Carol Lara é CSO da Mavens of London na América Latina

fonte

Tags: Business Intelligence, Inteligência Empresarial, Analytics, Cubo, Dashboards, OLAP, Redes Sociais, SAD, Tomada de Decisão, Inteligência, Melhores Resultados, Métricas, SetorialMetrics