10 posições de TI mais difíceis de serem preenchidas

Dos profissionais de segurança cibernética aos engenheiros de DevOps, o relatório 2018 State of the CIO revela quais funções de TI continuam com demanda bem superior à oferta.

Melissa Person-Ashforth

CEO da Melissa International

"Encontrar e reter talentos de TI exige que as organizações pensem fora da caixa e se concentrem menos em encontrar a contratação perfeita e mais em manter os candidatos e funcionários atuais engajados, motivados e ansiosos para aprender novas habilidades. Para mim, claro, é sobre encontrar as habilidades certas, mas também saber que tratar bem meus funcionários, compensando-os e recompensando-os, significa que mantê-los felizes."

O relatório State of the do CIO de 2018 concluiu que, após anos de discórdia, a TI e as áreas de negócio estão finalmente aprendendo a trabalhar juntas para conduzir iniciativas estratégicas e atingir metas compartilhadas. Para fazer isso, é claro, as organizações precisam de talento em TI - mas alguns papéis são mais difíceis de preencher do que outros.

Os trabalhos relacionados à tecnologia de ponta, como Inteligência Artificial, Machine Learning e Realidade Virtual são tão especializa dos que os programas educacionais não conseguem acompanhar as demandas de pipeline, enquanto outros, como nuvem, desenvolvimento de aplicativos e software corporativo, simplesmente têm demanda excessiva.

Encontrar e reter talentos de TI exige que as organizações pensem fora da caixa e se concentrem menos em encontrar a contratação perfeita e mais em manter os candidatos e funcionários atuais engajados, motivados e ansiosos para aprender novas habilidades, diz Melissa Person-Ashforth, CEO da Melissa International.

"Para mim, claro, é sobre encontrar as habilidades certas, mas também saber que tratar bem meus funcionários, compensando-os e recompensando-os, significa que mantê-los felizes", diz Ashforth. “Todos fazendo um esforço conjunto para ir além, aprender mais e adquirir novas habilidades.”

A cultura também é uma peça importante do quebra-cabeça, diz Sherri Douville, CEO da Medigram, uma startup em rápido crescimento. Douville diz que a cultura é a chave para garantir que ela possa atrair, contratar e reter as pessoas certas. “Não temos um grande problema em contratar para funções de TI, mas nossa cultura é uma grande parte disso. Não estamos tentando transformar ou mudar uma cultura existente, o que pode dificultar nas empresas existentes e tradicionais”, diz ela.

O salário, é claro, ainda está no topo da lista de atratividade dos candidatos, e a contratação para qualquer função de TI exige acompanhar as taxas do mercado. Mas concentrar-se em benefícios, vantagens e cultura pode ajudá-lo a atrair, contratar e reter até mesmo para os papéis de TI mais difíceis de preencher.

Com base no relatório de 2018 sobre o estado do CIO, aqui estão os 10 principais empregos de TI mais difíceis para os empregadores preencherem, para que você saiba onde gastar esforços extras ao contratar.

1. Gerenciamento de segurança/risco

Mais de um terço (39%) dos entrevistados afirmam esperar dificuldades em encontrar as qualificações adequadas para preencher cargos de segurança e gerenciamento de risco, de acordo com nossa pesquisa. “As proteções de segurança cibernética devem ser sua prioridade número 1, sempre”, diz Person-Ashforth. “Muitas vezes vemos clientes evitando isso até que tenham uma brecha, o que é um erro”.

Além disso, conforme regulamentações como o GDPR entram em vigor, essa área, que já apresenta escassez de talentos, passa a ser uma das prioridades mais importantes para os departamentos de TI.

2. Inteligência de Negócios (BI) e Análise de Dados

Trinta e seis por cento dos entrevistados dizem que o preenchimento de funções de Business Intelligence e Analytics continua difícil. Saber como coletar, processar, analisar e atuar sobre as vastas quantidades de inteligência de negócios e dados que fluem para as empresas a cada ano é uma área estratégica crucial; e um grande diferencial competitivo em uma economia digital.

3. Integração na nuvem

Vinte e um por cento dos entrevistados dizem esperar dificuldades para preencher as funções de integração na nuvem. E à medida que mais organizações mudam de implantações locais para as implantações em nuvem, a necessidade de talentos de integração na nuvem continuará a crescer. Seja integrando com sistemas legados ou migrando entre provedores de nuvem, é um conjunto de habilidades críticas em TI.

4. Desenvolvimento de aplicativos

Seja no desenvolvimento de aplicativos para uso corporativo interno para promover objetivos de negócios ou no desenvolvimento de aplicativos para clientes externos, essa área é outra função crítica de TI que enfrenta escassez de talentos qualificados. Algumas organizações estão se voltando para o desenvolvimento de códigos para ajudar a aliviar a pressão; 20% dos entrevistados disseram que terão problemas para preencher as funções de desenvolvimento de aplicativos.

5. Software empresarial (ERP, CRM)

Para grandes empresas, as soluções de ERP e CRM são necessárias para garantir eficiência, permanecer dentro dos orçamentos e, é claro, comunicar-se efetivamente com os clientes, e 19% dos entrevistados dizem que terão dificuldade em preencher as funções de software corporativo. “Essa área é especialmente importante para nós, já que estamos usando o Salesforce para gerenciar e medir a eficácia das campanhas, além das plataformas de Marketing Digital de próxima geração”, diz Person-Ashworth.

6. Inteligência Artificial (IA)

Há um grande burburinho em torno da IA ​​ultimamente, especialmente em como ela pode ajudar as empresas a serem mais eficientes e as maneiras pelas quais ela afetará ou eliminará certas funções. Talento habilidoso para a construção, monitoramento e manutenção de IA estará em alta demanda à medida que esta tecnologia evoluir e amadurecer. Atualmente, 18% dos entrevistados antecipam que as funções de IA serão difíceis de preencher.

7. DevOps / Processos Ágeis

Hoje em dia, toda empresa é uma empresa de TI, e a grande maioria está envolvida em algum tipo de desenvolvimento de software para realizar seus negócios, seja sua única missão operacional ou apenas alavancando software para aprimorar sua linha principal de negócios. DevOps e Agile são metodologias que tornam mais fácil e rápido criar e implantar software, mantendo uma aderência próxima aos requisitos do cliente e do usuário final em todas as etapas de desenvolvimento. Dezessete por cento dos entrevistados dizem que será difícil preencher os papéis DevOps/Agile.

8. Internet das Coisas (IoT - dispositivos conectados, sensores)

Dezesseis por cento dos entrevistados dizem que terão dificuldade em preencher papéis relacionados à Internet das Coisas (IoT), incluindo papéis que envolvem a construção, programação, monitoramento e manutenção de dispositivos conectados, sensores e tudo o mais que envolve IoT.

9. Arquitetura Corporativa

As regras de transformação e disrupção digital no mundo da tecnologia atual e a arquitetura corporativa podem ajudar de forma proativa e holística na resposta de uma empresa a essas forças, identificando a estrutura e a estratégia existentes da empresa e planejando como direcioná-la melhor. Essas funções são críticas para qualquer empresa voltada para o futuro que queira permanecer líder de mercado, mas 16% dos entrevistados dizem que terão dificuldade para preencher as funções de arquitetura corporativa.

10. Serviços em nuvem

Seja público ou privado, os serviços em nuvem permitem acesso onipresente a pools de compartilhamento de recursos configuráveis ​​e personalizáveis ​​oferecidos aos clientes pela Internet. Com cada vez mais organizações acessando um ou mais serviços em nuvem, a demanda por talentos com experiência no fornecimento, solução de problemas e gerenciamento de serviços em nuvem está aumentando. Atualmente, 16% dos entrevistados dizem que terão dificuldades para preencher os papéis relacionados aos serviços na nuvem. Fonte:http://cio.com.br/gestao/

 

Tags: Apoio à Decisão, Business Intelligence, Inteligência Empresarial, BigData, Analytics, Inteligência, Melhores Resultados, Métricas, Machine Learning, inteligência artificial