XIV Conferência Anual Futuro da TI

Ele ainda informou que a prioridade dos CIOs e líderes de TI na América Latina continua sendo o BI, pelo quinto ano consecutivo.

"Business intelligence inclui análise e virtualização. Aplicações vêm depois, com ERP, CRM e SCM, e virtualização de servidores e armazenamento em seguida", afirmou. Para Feinberg, faltam profissionais experientes na região o que eleva a demanda por serviços terceirizados nessas áreas. "Este cenário, no entanto, deve mudar entre três a cinco anos", confirmou.

Andreas Bitterer, vice presidente de pesquisa do Gartner, enfatizou a falha em projetos de BI durante o painel 'A grande discrepância: muita tecnologia e inteligência insuficiente'. Segundo ele, o "os erros não ocorrem por problemas tecnológicos, mas porque algo está errado no processo", salientou ao indicar os pontos que devem ser observados para que o projeto seja bem sucedido.

Tendências

Sobre a preferência dos CiOs na área de infraestrutura, o cloud computing está em primeiro lugar. A computação em nuvem é um estilo, tem escala e oferece serviços para clientes externos, usando tecnologia web, e isso é um diferencial". Disse Feinberg. Projetos de comunicação unificada, virtualização e open source também estão na mira dos executivos, segundo o Gartner.

Para Feinberg, "UC também é um componente-chave para a mudança da infraestrutra na América Latina". Ele estimou que ferramentas e tecnologias para telepresença e comunicações unificadas deverão impactar o cotidiano da TI nas corporações, nos próximos anos. Segundo ele, mais de 10 mil viagens poderão ser evitadas daqui três anos com a adoção de telepresença.

E até 2013, cerca de 40% da força de trabalho não terá um telefone em sua mesa. Haverá uma substituição por softphones e aparelhos celulares, e o trabalho de popularização das comunicações unificadas passará pela prova do retorno sobre o investimento (ROI).

O executivo acredita ainda em um crescimento demasiado na adoção de softwares de código aberto na região, o que deve causar forte pressão nos preços dos programas pagos. Segundo ele, uma das explicações vem do fato de o open source dispensar a contratação de um suporte específico "Open source não é mais piada; ele é usável , viável e tem mudado todo tipo de aplicação", afirmou.

O Gartner também relevou as estratégias dos diretores de TI na América Latina para este ano. Para a consultoria, fazer o link entre planos e estratégias de negócios ficou no topo da lista, seguido do aprimoramento da governança de TI, implementação de melhorias nos processos, redução de custos e a entrega de projetos que permitam o crescimento dos negócios.

Fausto Fernandes e Luciana Robles
Revista tiinside, ano 5, nº51, p.14. Outubro de 2009.