Quer ganhar mais? Seja um craque de TI

"A tecnologia está presente em todos os setores da economia moderna. Isso vem colaborando para o crescimento dos salários e para a maior penetração das empresas em diversas regiões do país", afirma Sergio Sgobbi, diretor de educação e recursos humanos da Associação Brasileira de Empresas de Tecnologia da Informação e Comunicação (Brasscom). O Brasil já pode ser considerada uma potência regional de TI. Em 2011, o mercado brasileiro de tecnologia da informação movimentou 11 bilhões de dólares, segundo dados da consultoria Frost & Sullivan, um crescimento de 11,5% em relação ao ano anterior. Com os números, o país já responde por metade do mercado de tecnologia da América Latina.O estudo ouviu 260.000 profissionais – pouco mais de um quinto das 1,2 milhão de pessoas que atuam na área no Brasil. Entram no cálculo funcionários de empresas com níveis variados de experiência e tempo de serviço, além de consultores. Foram rastreados os vencimentos de profissionais que atuam nas cinco regiões do país, divididos em 15 subáreas de TI, cada uma delas subdividida em níveis hierárquicos de gerência, coordenação e desenvolvimento (profissional júnior, pleno ou sênior). Dessa forma, foram consideradas 48 diferentes funções, o que revelou o bom momento: em 41 delas, a média salarial subiu no último anoConfira a média salarial das 15 principais áreas de TI nas cinco regiões do Brasil, segundo dados coletados em janeiro.

Os dados animadores da Catho corroboram outro estudo, que analisou a tendência dos vencimentos do setor até 2014. O levantamento – parceria entre a Brasscom e o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) – concluiu que os salários de entrada, pagos a quem começa na área, deverão receber um incremento de cerca de 18% até 2014. O estudo mostrou também que, em outubro de 2011, os novatos receberam 1.977 reais nos estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Bahia, Minas Gerais, Paraná, Pernambuco, Rio Grande do Sul e também no Distrito Federal – identificados como polos de tecnologia. O valor é 31,89% superior à média salarial brasileira, de 1.499 reais. Continue a ler a reportagem 

Os salários de TI nas cinco regiões do Brasil - Fonte:  Catho Online (2012)

Abaixo seguem as médias das 15 principais áreas de TI nas cinco regiões brasileiras: norte, nordeste, centro-oeste, sudeste e sul.

Administração de Banco de Dados

Administração de Redes

Arquitetura da Informação

Conteúdo Web

Criação Web

E-commerce

Negócios web

Processamento de Dados

Programação

Qualidade de Software

Segurança da Informação

Sistemas
Responsável pelo planejamento, desenvolvimento e implantação de projetos de TI dentro de uma empresa

Suporte Técnico em Informática

Tecnologia da Informação (subárea)
Engloba as divisões de informática, implantação de sistemas da informação, consultoria de sistemas da informação, planejamento, organização e controle administrativo.

Web Development

 

Sim, é um ótimo momento para quem já está na área e uma grande oportunidade para quem quer entrar nela. Apesar de tantos atrativos, o curioso é que, ao lado do aquecimento do mercado, o déficit de mão de obra é apontado como razão da elevação dos salários. Estima-se que haja 115.000 vagas não preenchidas à espera de profissionais qualificados. Até 2025, o número pode chegar a 500.000 postos de trabalho, segundo estimativas do Sindicato dos Trabalhadores em Processamento de Dados e Tecnologia da Informação do Estado de São Paulo (Sindpd). "As empresas estão percebendo a necessidade de remunerar melhor seus funcionários. Aquelas que não seguirem a tendência, serão obrigadas a aprender a operara sem eles", afirma Antonio Neto, presidente do Sindpd.

Profissionais em alta

Daniel Urbano, programador
"Em 11 anos de carreira, meu salário cresceu 400%. Entre 2010 e 2011, o aumento foi de 15%. Depois de anos no mercado, estou feliz com minha remuneração"


Fernando Galdino,
especialista de banco de dados

"No ano passado, notei um aumento de 7% no meu salário. Hoje, a área de paga bem, tanto nas capitais quanto no interior do país"

Os bons ventos que sopram na área de TI não levarão todos os interessados ao mar da prosperidade. Se, por um lado, não há regulamentação profissional no setor – o que dispensa a necessidade de apresentação de um diploma –, por outro, as demandas a que são submetidos os profissionais mudam tão rapidamente quanto a tecnologia. Se há apenas dois anos os microprocessadores de dois núcleos (dual-core) desafiavam e encantavam os profissionais que atuam na área, atualmente o foco de atenção são os chips com quatro núcleos (quad-core), muito mais rápidos e potentes.

"O Brasil conta com bons profissionais no mercado", diz Shuji Shimada, diretor da People Consulting, empresa especializada em recrutamento na área de TI. "Contudo, num cenário de grandes mudanças e crescimento acelerado, cresce exponencialmente a exigência de atualização."

Na área de TI isso significa uma sólida formação técnica aliada à aquisição praticamente constante de certificados específicos. Eles atestam que um profissional domina determinada tecnologia e está apto a lidar com ela diariamente. É uma exigência do mercado e das empresas empregadoras. O caminho não é fácil, mas, como mostram os indicadores da área, é recompensador. "A tecnologia da informação é base para tudo, não há processo sem apoio tecnológico", diz Shimada.

Fonte: Veja